sábado, 12 de novembro de 2011

2

Crônica de uma soberania anunciada - Sonia Regina




Da operação para tomar as favelas da Zona Sul do Rio (Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu - no Leblon, na base do Dois Irmãos) , estou longe e perto: na Gávea. Um túnel (que liga São Conrado à Gávea) nos separa, mas há caminhos pela mata e pela Estrada da Gávea, acessada pela Rua Marquês de São Vicente. E há a Av. Niemeyer (que liga Leblon a São Conrado, beirando a montanha em sua junção com o mar,) onde se encontra a favela do Vidigal.

Quem mora na Gávea, Leblon e São Conrado está onde tem as vias de acesso às favelas que serão ocupadas. Muitos carrros de polícia nas ruas com as sirenes ligadas passam em nossas portas, helicóteros nos sobrevoam incessantemente, traficantes fugitivos são presos por aqui em suas fugas da  Rocinha: a PUC aqui ao lado foi palco de prisões, assim como a rua em frente ao Shopping da Gávea e a Lagoa, onde foi preso o Nem (chefão do tráfico jamais preso), em frente ao Clube Naval .  Enfim... Esperamos que não haja confronto. Por nós. Por todos.

Minha intenção ao escrever isso é tranquilizar os que sabem onde moro e  os que lêem em seus países e Estados notícias que podem alarmá-los. Transcrevo esta, do Jornal do Brasil, que me parece fazer um retrato fiel da situação, sem terrorismo :

"Os Batalhões de Operações Policiais Especiais (Bope) e de Choque (BPChoque) da Polícia Militar – com apoio de unidades da Polícia Civil, além de helicópteros das duas polícias, veículos blindados dos Fuzileiros Navais, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e efetivos da Polícia Federal – começarão na madrugada deste domingo (13/11) a Operação Choque de Paz, que marca a fase de ocupação das comunidades Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu.

Em data a ser definida, as três comunidades receberão a 19° Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Estado do Rio. Segundo o censo do IBGE de 2010, na Rocinha moram 72.458 pessoas e no Vidigal e Chácara do Céu 11.321. A população indireta, ou seja, moradores do entorno, é de cerca de 80 mil na Rocinha e 44 mil no Vidigal. O efetivo e o número de bases operacionais da nova UPP serão definidos após reconhecimento do terreno pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

A Polícia Militar, com apoio da Companhia de Engenharia de Tráfego da Prefeitura (CET-Rio) e da Guarda Municipal, fechará, a partir das 2h 30min da madrugada de domingo, as principais vias de acesso no entorno da Rocinhae do Vidigal: Estrada Lagoa-Barra (nos dois sentidos), Av. Niemeyer, Estrada do Joá, Rua Marquês de São Vicente e Estrada das Canoas.

A Operação Choque de Paz foi precedida de diversas ações das forças policiais em várias comunidades desde o início do mês de novembro. Segundo a secretaria, essas ações tiveram como principais objetivos anular potenciais pontos de refúgio para os traficantes da Rocinha e do Vidigal, debilitar o poderio defensivo e econômico da facção criminosa, e garantir o máximo de eficácia com o mínimo de riscos na Operação Choque de Paz, tanto para as forças da Lei quanto para as comunidades sob ocupação de facções criminosas.

A Operação Choque de Paz conta ainda com bloqueios da Polícia Rodoviária Federal nas principais saídas do Rio e ações de inteligência da Polícia Federal. O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro montará um hospital de campanha com seis leitos na quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos da Rocinha. Os Bombeiros terão também três ambulâncias avançadas, que ficarão em frente à quadra, somando um efetivo total de 15 homens à disposição.  (...)"

Sim, o clima é de guerra, ninguém entra ou sai da Rocinha sem ser revistado, há muitas blitz e o barulho dos helicóperos abafa o canto dos pássaros, que nem sei se ainda estão por aqui. Certamente estamos em segurança em nossos condomínios e prédios, mas assustados. O movimento policial e militar (os tanques da Marinha virão e não sabemos se subirão pela Gávea ou São Conrado, do outro lado da montanha) é grande, não poderemos saír de carro a partir das 2:30 h deste domingo.

As favelas serão tomadas e a sociedade voltará a ser a soberana das regiões onde  elas estão. Mas e o tráfico, para onde irá? E os  traficantes fugitivos? E os policiais corruptos que ajudavam a manter o império de um bandido que dava cestas básicas de alimentação e ajudava os moradores a construir suas casas? E a situação social que é responsável por grande parte disso? 

Certamente aplaudo os policiais honestos, mas não acho que honestidade seja uma virtude. Muitas questões nos tomam enquanto olhamos o céu com helicópteros policiais em vôos ininterruptos. Fazemos parte disso tudo, é a nossa sociedade - também somos responsáveis.


Sonia Regina



2 comentários

Vieira Calado

Tenho visto algumas reportagens sobre as favelas.

É uma questão deveras preocupante.

E de muito difícil resolução.

Bom resto de fim de semana!

sonia regina

Obrigada pela leitura, poeta!
É, muito difícil.Vamos acompanhando e fazendo a nossa parte, ainda que seja usando a palavra.

Abs