sábado, 18 de fevereiro de 2012

1

SARÇA





















Maria do abajur lilás,
dos sonhos da luz vermelha,
tinha visões de pecado,
tremores suados profanos.


O quarto perfumado a flor,
escuso cheiro de bordéis de quinta,
cultivado em frascos de vento.


Parede pregada de santos,
era devota confessa,
não dormia sem uma salve-rainha
e um pai nosso:
ajoelhava e rezava.


Bem no meio da homilia,
o pai arfava e gemia:
- Ave Maria!


*************

1 Comentário

Osmar Casagrande

Que lindo, Lílian.
Ave!