quinta-feira, 5 de abril de 2012

4

CONTAÇÃO: "Eu-Diabo", por M.Mei





EU-DIABO


“Vamos lá” – dizia o Diabo – “Enfie o dedo aí e veja como é boa a sensação: a carne mole, a viscosidade, o calor, o pulso...”. E pulava de um lado ao outro, em volta da mulher no chão, contorcionista, o rosto transfigurado, os gemidos e o ventre. E eu agachado ao lado enquanto meus olhos analisavam os detalhes daquela cena, o bafo cáustico da mulher no meu rosto, o cheiro... Contorcionista. “Vamos, seu frouxo, é só enfiar o dedo! Um pouquinho só, pra sentir. Não tem ninguém olhando, e a moça está em transe... Largue de covardia, homem!” – e nessa hora eu já não sabia se era o desgraçado ou se era minha mente. Talvez o filho do bode já estivesse em minha mente, sabe-se lá. “Enfie o dedo, enfie um pouco e depois mais... Agora!”.

E de súbito meu dedo entrou no buraco. Primeiro o indicador, depois o médio. A mulher urrava e seu ventre fazia movimentos de maré brava. Contorcionista. E era mesmo quente, viscoso, tão bom quanto o sexo de Aninha. Era melhor. Era apertado demais, úmido demais, e eu não queria sair dali. “Um dedinho a mais, só um...” – dizia o Diabo-Eu. E o anelar quase não entrou. A garota desmaiou em um gemido não humano, mas o buraco ainda pulsava. E pulsava cada vez mais. O líquido morno escorria pelo meu punho, o cheiro de sangue e suor, o hálito... Ah! O hálito! 

Inclinei-me sobre a mulher para beijá-la: a boca agridoce, azulada, fresca. A sirene, o resgate. “Corra, homem, corra... Largue isso, ande! Levante-se, corra!”. E foi então que me despedi do buraco, só mais um pouco, e distanciei-me enquanto o desgraçado ficava lá. Com a mulher e o buraco, com a carne e o sangue. Com o cheiro corrosivo da morte, que só Eu-Diabo sentíamos. Em meus dedos o líquido grosso. Na outra mão, a máquina de fazer buracos.



Mariela Mei é toda verso e prosa. Formada no divã e na escrivaninha. Escreve para existir. Bloga em http://gracadesgraca.com . 
Quer ver mais Contação? Clique AQUI!

4 comentários

Sissym

Olá ! Muito obrigada por suas palavras no meu blog. Sim, sempre há novas possibilidades, e boas.

Feliz Pascoa!

Bjs

Mariela Mei

Oi, Sissym... Acho que você confundiu... não deixei comentário em seu blog.
Feliz Páscoa pra vc tb
Mariela Mei

Editorial

Não, ela não se confundiu. Fui eu que estive lá, Mariela, agradecendo à Sissym estar nos seguindo. E fiz um comentário, sim.

Obrigada, Sissym, pelo retorno, e parabéns, Mariela, pelo post de qualidade - como sempre.

Beijinhos pra ambas
da Sonia

Mariela Mei

Ah, legal!!
Vou depois visitar o blog da Sissym, então, Sonia!
Beijos