sábado, 26 de maio de 2012

4

MEUS VERSOS DE MENINA...



Meus versos de menina perderam-se nos vãos dos tempos,
condensaram-se nas matizes do aro-íris.
Voaram pelos céus, voláteis e febris...
Composições de poemas inconstantes como a própria meninice.
Rimas frágeis e tão verdadeiras.
Meus versos, em momentos de alfabetização poética, cristalizaram-se no coração da poetisa que hoje resiste escondida, adormecida em fendas de pequeninas rochas.

Imagem do Google

4 comentários

Expedito Gonçalves Dias

Os versos da menina e da mulher se confundem num misto de espanto e esperança, de buscas além!
bjx, Branca!

Malu

Grata pelo seu carinho de sempre.

Jorge Xerxes

Malu,

Belos Versos:

Lirismo e Inspiração!

Um Beijo, Jorge

Malu

Xerxes, obrigada pela visita e comentário, meu amigo!