segunda-feira, 18 de junho de 2012

2

PLANTAÇÃO DE AMOR...



Deito ao sol o corpo ausente
Mato em mim a serpente
Lanço ao espaço meus pedaços
Semeio nos seios fecundos canteiros
Rego a flor do meu amor
Pétalas brancas nos vasos quebrados
Botões pequeninos em bico de beija-flor
Não há em mim um só estilhaço
Que me faça sentir dor
Pois o que sinto é do mundo para o mundo
Sentimentos inteiros espalhados pelos canteiros
Aqueles que semeei entre os seios
Desejando colher emoções

Imagem Google

2 comentários

Márcio Ibiapina

Belo poema. Parabéns!

Malu

Márcio, grata pela atenção. Um grande abraço!!!