sábado, 1 de março de 2014

0

FUGAZ - JANDIRA ZANCHI





momentânea sanidade alongando-se
na promessa de algum encanto

é noite em minha sala e dia no silêncio

movo-me com a sinceridade dos escolhidos
sem fronteiras na lembrança
e alegrias no repouso

reabro o infinito com a agudeza de um mártir

sacrifico a leitura das aves e o esconderijo
de algum deus, sabendo que da sina
o semáforo e o ato são o compassivo brevê
do meu instante
                            Fugaz........

Seja o primeiro a comentar: