sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

1

[s/título]

Que me importa ser a tua sombra...
se o calor do astro solar preencher o teu corpo
magnânimo.
Receberei as doces réstias
impregnadas das tuas fragrâncias
no meu rosto metafísico.

Fernando Oliveira

1 Comentário

Sonia Regina

Belo, belo, Fernando, doce poema!
A construção é firme, contudo - e tem tua marca.

"Que me importa ser a tua sombra...
se o calor do astro solar preencher o teu corpo"

Lindo isso!
Bjs