terça-feira, 25 de maio de 2010

4

Rafael Nolli - Poema # 1






































A um toque das mãos ter as pessoas,
ver nossa vida em suas vidas continuada.
Pioneiras que antes de todos foram ao fundo
e dele regressaram com avisos, precauções.

A um toque das mãos ter as pessoas,
ser feliz com elas enquanto transitam –
estendendo a fronteira de nossa alegria
às ruas onde não eram aceitos os nossos passos.

A um toque, para o bem ou para o mal –
ter algo quebrado quando se embrutecem,
ser ferido quando se atracam,
quando se estilhaçam, ter algo partido.

A um toque das mãos ter as pessoas,
poder viver nelas o que não nos foi possível –
em seus pulmões o ar que nos foi recusado.
Seus sonhos e os nossos em uma mesma sala.

A um toque das mãos ter as pessoas,
ver nossa vida em suas vidas continuada.


Imagem: autor ignorado



4 comentários

Jorge Xerxes

Rafael, Belo e Sensível Poema!

"A um toque das mãos ter as pessoas..."

Inúmeras São as Possibilidades da Vida Compartilhada!

Um Grande Abraço, Jorge X

L. Rafael Nolli

* Jorge, muito obrigado pela leitura e pelo comentário, fico feliz que tenha gostado do poema! Um abraço!

* Amigos da revista, como sempre me alegro muito toda vez que venho aqui e encontro um poema meu! Obrigado pelo espaço! Saibam que é um prazer poder participar! Abraços!

editorial

Rafael, você e tua poesia - fabulosa e singular, como disse Fernando Oliveira - são muito bem-vindos.

Um abraço amigo
da Sonia

jorge vicente

E é uma alegria imensa ter-te aqui, meu GRANDE poeta amigo!

Mais um belo poema seu.

grande abraço
Jorge