quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

2

Gente Estável


                Dedico essas linhas a todos as pessoas estáveis do mundo. Todos aqueles que optaram pelo caminho tido como seguro. Os que abriram mão dos seus sonhos em nome da tal estabilidade. Todos os que tiveram coragem de seguir suas covardias. Os sensatos, os responsáveis, os seguramente pequenos. Essas linhas, dedico aos que já sabem que horas vão dormir e que horas vão acordar pelo resto de suas vidas. Vidas? São essas as pessoas que mantém o mundo girando - lento assim -, com seus carimbos e suas testas franzidas. Gente que abriu mão de vocações sinceras, pianistas excelentes, exímios pintores, bailarinos, artistas plásticos, todos devida e perpetuamente assalariados das nossas repartições públicas. Gente que topou estudar para emburrecer, para decorar frases feitas, para calar a própria dignidade. Pais e mães de família que preferiram fingir não ter escolha, que preferiram se garantir. Gente responsável, que dorme de meia e não apanha friagem. Pessoas cuja felicidade, de tão pequena, cabe na carteira e em frascos de remédio. Um povo que desperdiça os domingos em carteiras escolares, todos na ânsia de mamar também das tetas dessa vaca morta que chamamos pátria. Todos aqueles que estão tranqüilos por terem feito sua parte. Dedico essas linhas a todos vocês... Enforquem-se!

2 comentários

Sônia Pillon

Um verdadeiro soco no estômago dos que levam a vida como autômatos e vivem por viver ao abrirem mão dos próprios sonhos. Amei! PARABÉNS!

Jorge Xerxes

Eduardo,

Ótimo Texto e Desabafo: Sincero.

Grande Abraço,

Jorge