quarta-feira, 1 de maio de 2013

1

Green glasses






 
Bota esses seus óculos de lentes verdes,
 
pensa num planeta além da órbita
 
do próprio umbigo,
 
tanta gente necessitada,
 
tanta gente sofrida,
 
se olha no espelho,
 
tira esses seus óculos de lentes verdes,
 
bota a mão na consciência,
 
“como é se não a vejo”,
 
põe de volta os óculos de lentes verdes,
 
vê se tira os olhos do espelho,
 
de tanta gente sorrindo,
 
quanta bagunça na praia,
 
ela toda dentro da cabeça,
 
na forma da fumaça
 
de uns bauretes,
 
os radicais livres e em festa,
 
o sol,
 
(a-o)m(o-a)r,
 
se chafurdar na areia
 




1 Comentário

Sônia Pillon

Óculos de lentes verdes... Forte e direto, sacudindo as consciências adormecidas e as cabeças chafurdadas na areia... Parabéns!